domingo, 18 de fevereiro de 2018

Maria Graciete Besse, NA INCLINAÇÃO DA LUZ

1.

Eis o lugar onde começa
o sobressalto

o mar tão perto
as casas caiadas de miséria
e paciência

o céu limpo onde as gaivotas
escurecem.

É quando alguém grita
de muito longe
o abandono

atravessando o arame
dos sonhos.



ISBN: 978-989-8789-37-2
68 páginas
Pvp: 8 €

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Bem vindo, Wang Wei






Wang Wei nasceu em 701, no norte da China, onde passou a infância e a juventude, e faleceu em 761. O seu pai desempenhava um alto cargo na administração imperial, a sua mãe era uma fervorosa seguidora do budismo. Desde muito cedo revelou talentos de músico, pintor e poeta. Aos vinte anos foi-lhe atribuído o lugar de secretário para a música na capital da província. Mais tarde foi deportado para o interior, em resultado de uma falta cometida por um seu subordinado. Aos vinte e sete anos retira-se para a montanha e no regresso casa-se. A sua mulher morrerá quando ele tem trinta anos, não mais voltará a casar.

Nesta época florescem o budismo, a pintura de paisagens e a poesia com Li Po e Tu Fu. Este budismo é uma versão taoista chinesa do budismo original indiano e propõe uma união entre o “eu” e a natureza. Trata-se de uma experiência que é revelação imediata e intuitiva do infinito ciclo vital em todos os seres viventes, experiência que mobiliza um intenso sentimento de liberdade e de compaixão com todos as criaturas vivas.   

Influenciado pela mãe, Wang Wei estuda o budismo. Nos seus poemas irá procurar captar o vazio como forma de conhecimento da eternidade. Compreender o vazio é compreender que tudo nos escapa e que não há verdade absoluta. Daqui o acordo necessário entre a arte e o ritmo espontâneo e orgânico da natureza.

De 740 a 755, Wang Wei ocupa funções elevadas na administração da província, mas estas funções são equilibradas com longos retiros na montanha. Em 750 funda um mosteiro para dar abrigo a monges budistas, neste mosteiro passará muitas temporadas em meditação. Em 755, em consequência de uma violenta rebelião, o imperador foge para sul, Wang Wei é encarcerado e a música banida. Em 759, com o regresso ao poder dos antigos senhores, Wang Wei é de novo reconduzido nas suas funções de secretário de estado para a música.


Este é um dos poemas da sua velhice

Com a idade já demasiado lento para compor poemas
Só a velhice por companhia
Nesta vida poeta por engano
Sem dúvida, pintor numa existência anterior
Não podemos abandonar os velhos hábitos
Por acaso conhecido no mundo pelas pessoas
Se o meu nome e apelido concordam
Que sabe o coração verdadeiramente?



Traduzir poesia é verter um líquido precioso de um vaso para outro. Foi o que fiz, neste caso como noutros, a partir de versões em diferentes línguas.
Toda a poesia sofre a marca do Tempo. Alguma, como neste caso, a sua intemporalidade é urgência e chegou passado muito tempo.

M. S. T. 



ISBN: 978-989-8789-35-8
78 PÁGINAS
Pvp: 9 €

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

O Último sopro de LEONORA ROSADO


«Os olhos exigem
O fino anzol
dos teus lábios.»


ISBN: 978-989-8789-36-5
92 páginas
Pvp: 10 €

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

R. M. RILKE, Das Rosas



«Flor tão íntima,
no teu sonho,
pendes sobre a manhã
molhada e lacrimosa.

Em suave força dormindo,
num incerto desejo,
desenvolves ternas formas
entre a face e os seios.»



Edição bilingue
Verões de Manuel Silva-Terra
58 páginas
Isbn: 978-989-8789-34-1
Pvp: 8 €

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Apresentação de livro de jovem deus morto

Morrem cedo os que os deuses amam.
Fernando Eduardo Carita, editado na Bélgica, mas quase desconhecido em Portugal, vai ter apresentação de livro inédito em português.
Aqui está o convite. Apareçam. Serão bem vindos.

sábado, 14 de outubro de 2017

Ser Casa, de Manuel Silva-Terra



A Casa é uma segunda pele
esta mais rugosa encortiçada
fronteira
Do lado de dentro
o sangue
irrigando constelações
Do lado de fora
sorvendo
a húmida claridade


isbn: 978-989-8789-33-4
64 páginas
pvp: 8 €

os amigos da editora