quarta-feira, 17 de novembro de 2021

ISABEL AGUIAR tb ISABEL AGUIAR BARCELOS

 Aqui damos notícia do seu súbito e brutal desaparecimento no passado domingo, 14 de novembro. 

Nascida no Funchal, faleceu em Lisboa.

Autora de livros infanto-juvenis, publicou com António Ramos Rosa "Bichos Instantâneos". 

Tradutora de várias publicações.

Na Licorne publicou

REQUIEM SOBRE AUSCHWITZ

EU AMO TARKOVSKI

AS MÃES DA SÍRIA

TANTOS PÁSSAROS e AS CRIANÇAS DE MORIA .

Deixou ainda muito por publicar. 


* A Isabel é a mais recente vítima de um mundo em processo de desmoronamento rápido. Desmoronamento ético, estético e ecológico, de leis supostamente humanistas, e de pequenos poderes fátuos que condicionam os criadores.

A Isabel está bem, agora.


terça-feira, 16 de novembro de 2021

NOTAS SOBRE A MELODIA DAS COISAS, de R. M. RILKE, 5ª ed

 De novo disponível e com uma nova capa.





5ª edição

ISBN. 978-8789-61-7

48 páginas

Pvp; 8 euros

sábado, 18 de setembro de 2021

CAMINHAR EM TERRA MOLE, com Maria Beatriz Seabra

 



[oito]

muitas vezes 

[não demasiadas] 

é preciso abrir as janelas


respira-se melhor 

quando não se prende o Ar 

nem se atrapalham os caminhos 

às coisas invencíveis


o Ar

e todas as coisas que se movem 

[até as que não se movem] 

não entram em lugares fechados 


ISBN: 978-989-8789-60-0

102 páginas

Pvp: 12 euros

quinta-feira, 25 de março de 2021

HOLDERLIN, pela mão de Manuel Silva-Terra

 


As oliveiras e os loureiros
plantados pelas mãos dos homens
são a glória da Hélade.
Quando esta, em paz, caminha pelos campos abençoados
as oliveiras e os loureiros coroam os dias heroicos
dão-nos o azeite e a luz
fundem o mito com os deuses das vagas
erguem cânticos à chegada dos peregrinos
que para aclarar o espírito bebem da fonte de Castália.
Mas a nós nos foi dado não repousar em parte alguma
só a inquietude nos sossega
pois fomos feitos pelo sopro
do vento e só quando Éolo nos impele
e nos incha as velas respiramos.
(Trecho do meu último livro-poema, com prefácio de
Isabel Aguiar
).


isbn: 978-989-8789-58-7
52 páginas
8 euros

CAMINHOS DE TERRA E PEDRAS SOLTAS, por José Miranda Rodrigues

a) CAMINHOS

 

Que pedras estão soltas nesses caminhos de terra?

Que voltas damos sem tropeçar nas pedras que

em cima da terra castanha e do pó sobressaem?

Passamos por aqui, pontapeamos as pedras,

vemo-las rolar nas bermas, 

o movimento é falso e entretemo-nos a avaliar

a forma e a textura das pegadas

que os caminhos vão apagando sem que ninguém tivesse passado por lá,

a falsidade está 

de diversas maneiras,   

a terra tapa tudo e solta as pedras que adquirem uma dimensão inesperada,

mas ninguém larga esse caminho com a terra dentro,

e por isso estava a transformar-se numa obsessão

esta forma de andar em cima das pedras sem que

pisássemos a terra que tínhamos debaixo dos pés,

como se levitássemos ou andássemos em silêncio

percorrendo estas redundâncias com a terra e as pedras soltas,

antecipando o tempo em que teríamos a terra e as pedras em cima,

numa prisão interminável



ISBN: 978-989-8789-54-1

108 páginas

Pvp: 13 €



 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

TANTOS PÁSSAROS e AS CRIANÇAS DE MORIA, por Isabel Aguiar



Depois da Síria, Isabel Aguiar volta ao local da dor.

ISBN 978-989-8789-59-4
52 páginas

PVP 9 euros

 

sábado, 9 de janeiro de 2021

OS CAMINHOS INCAS, por Maria Graciete Besse

1.

 

O antigo perfil dos Incas atravessa o

cansaço da pedra que bebeu a dureza

o sangue, a febre, a orla da coragem

no breve confronto das genealogias.

 

Manco Capac sai da espuma do lago

enterra no húmus a sua vara dourada

e abre os breves caminhos da revolta

sem pressentir a energia da desgraça.



isbn: 978-989-8789-55-6

104 páginas

pvp: 13 euros

 

os amigos da editora